22 outubro 2011

sendo legal, não é justo

 (daqui)

Esta semana mais me valia pôr um colchão num cantinho qualquer da Filarmonia: sete concertos em dez dias: 1  2  3  4  5  6  7  (sobre o salão filarmónico e o Pablo Heras-Casado hei-de contar aqui, assim me ajudem engenho e arte e sobretudo tempo, que isto de viver para contar não é para todos, e eu, por azar, sou mais a escrita ou a vida)

Às vezes penso que Deus reservou um nogueiral inteiro só para mim, e se esqueceu que sou alérgica a nozes. Então, e os outros, os que têm dentes e fome?

Vou a alguns destes concertos com bilhetes que compro, outros vêm ter comigo. Garanto que tudo isto que me acontece é legal. Mas não é justo, convenhamos. Sempre que me sento numa cadeira daquela sala dói-me mais aguda a ausência de tantos amigos portugueses: de bom grado lhes cederia o meu lugar, ou arranjaria também bilhetes para eles.

9 comentários:

sem-se-ver disse...

continua a dizer coisas dessas, continua, que um dia destes pego num easy jet e vou roubar-te o bilhete...

Helena disse...

olha, olha, uma das minhas injustiçadas!
Vem: se for para ti, nem é preciso roubares - até te dou o meu!

Conheces o Heras-Casado? O Simon Rattle que se cuide, que parece que me vem por aí um novo amor...

Carlos Azevedo disse...

«sendo legal, não é justo»

Quando li o título do post, pensei que se referia a isto!

(quanto ao post: se a inveja matasse... estou a brincar, claro -- enjoy it!)

Helena disse...

Carlos, parece que o que mais há são coisas que sendo legais não são justas. E muito menos éticas.

Quanto à inveja: hesitei se devia contar ou não. Mas a verdade é que nem eu própria acredito na minha sorte!

Deus tem os critérios muito mal escolhidos, acho que no dia do juízo final o havíamos de encostar à parede: "então como é? como é que aquelas nozes se explicam?"

Carlos Azevedo disse...

Ao que ele responderia: não gostaste? não aproveitaste? Então, cala-te!, antes que eu te envie para um local mais quentinho. :-)

Helena disse...

hahahahaha

hahahahahahahaha

Bom, ao que eu responderia: não me venhas com prepotências, e diz-me, nesta hora de saber todos os mistérios, porque é que uns receberam tantos e outros tão pouco?

sem-se-ver disse...

e aí deus emudeceria.

Helena disse...

Não, não me parece que seja caso para tanto. Afinal de contas, tem tido toda a eternidade para pensar numa boa resposta para esta pergunta, uma das mais fundamentais. A que deu há 2000 anos, que o reino de Deus é assim e tal, deixa-me frustrada e confusa.

snowgaze disse...

LOL parece que estas a desafiar alguem ;)