06 setembro 2011

sem receita



Vídeo e letra descaradamente roubados à Ana Vidal. Leiam todo o post, vale muito a pena

SEM RECEITA

Primeiro, lenta e precisamente,
arranca-se a pele
esse limite com a matéria.
Mas a das asas melhor deixar
pois se agarra à carne
como se ainda fossem voar.
As coxas, soltas e firmes,
devem ser abertas
e abertas vão estar
e o peito nu
com sua carne branca
nem lembrar
a proximidade do coração.
Esse não.
Quem pode saber
como se tempera um coração?

Limpa-se as vísceras,
reserva-se os miúdos
para acompanhar.
Escolhe-se as ervas,
espalha-se o sal,
acende-se o fogo,
marca-se o tempo
e, por fim, de recheio,
a inocente maçã,
que tão doce, úmida e eleita
nos tirou do paraíso
e nos fez assim:
sem receita.

1 comentário:

Carlos Azevedo disse...

A Ná Ozzetti é outra cantora excepcional. Dela, tenho dois discos: "LoveLeeRita", exclusivamente dedicado a temas de Rita Lee, e "Show", dedicado a canções brasileiras dos anos 20, 30 e 40 do século XX. É um cantora com uma voz belíssima e uma técnica muito apurada, à semelhança de Mônica Salmaso -- aliás, são muitas amigas. Se encontrar algum CD (em Portugal é quase impossível encontrá-los), não deixe escapar! ;)