28 julho 2011

correio das ilhas (37)

Olá, Rita

ontem andei a passear com uma amiga sob o magnífico céu estrelado da planície alentejana. Até me perguntei o que fui fazer para Chaco em 2009, se as estrelas afinal vêm ter comigo aqui mesmo.
(A malandra da galinha da vizinha, aquela galinha gorda indecente, é o que é...)

Vi várias estrelas cadentes, lindas, mas nunca a tempo de formular um pedido. É que tínhamos muito que conversar, e entre o acabar a frase, fazer oh, e pensar no que queria, já ela tinha desaparecido. Ao fim de seis ou sete, desisti de contar com elas. Vou ter de me desenrascar sozinha.

2 comentários:

Rita Maria disse...

Isso é aborrecido porque os pedidos às estrelas cadentes sao dos poucos quese realizam. Acho que devias reconsiderar. No meu caso o único problema é que nao tenho bem a certeza do que desejar e nao sei se nao é de ter medo que se realize...

PS: No entanto, "100 euros" é uma coisa que as estrelas cadentes nao percebem. E também nao desgayzam franceses. Mas sao os únicos dois limites de que tenho conhecimento.

Helena disse...

:-)
Até me lembra o que diziam os gregos antigos,esses sabidolas: quando os deuses se querem rir dos humanos, realizam os seus desejos.